A VIRGEM COM O MENINO E SANT'ANA

Em 1502 Leonardo estava a serviço de Cesar Borgia, o duque da Romanha, que era filho do Papa Alexandre VI. No papel de arquiteto e engenheiro, ele supervisionava as fortalezas papais da Itália central. Em 1503 era membro da comissão de artistas que decidia sobre a locação para o Davi – a colossal escultura de Michelangelo – e também servia como engenheiro na guerra contra Piza.


Ainda em 1503 começou a trabalhar na decoração do grande salão do Palazzo Vecchio. O tema era a vitória florentina na Batalha de Anghiari, nessa mesma guerra contra Piza. Fez numerosos desenhos e chegou a completar um cartão de grandes dimensões em 1505, mas nunca finalizou a pintura mural que lhe havia sido encomendada. O próprio cartão foi destruído no século XVII e da composição sobreviveram apenas cópias, sendo uma das mais famosas a do pintor flamengo Peter Paul Rubens (c. 1615) que está no Museu do Louvre.


Durante seu período Florentino, Leonardo pintou vários retratos, entre eles, a Mona Lisa (1503-06). Em 1506 voltou a Milão e foi nomeado pintor da corte do Rei Luis XII da França, que estava então residindo naquela cidade. Nos seis anos seguintes, dividiu seu tempo entre Milão e Florença, onde ia visitar seus meio-irmãos e meio-irmãs e também cuidar dos assuntos de sua herança.


Entre os anos de 1514 e 1516, viveu em Roma sob o patronato da Papa Leão X. Viveu no Palácio Belvedere no Vaticano e nessa época parece ter se ocupado quase que exclusivamente de experimentações científicas. Em 1516 viajou à França para ficar a serviço do Rei Francisco I e passou seus últimos anos de vida no Castelo de Clos Lucé, tendo morrido ali em maio de 1519.




Virgem com o Menino e Sant’Ana, c. 1510, óleo s/madeira, Museu do Louvre



“Virgem com o Menino e Sant’Ana” foi produzido por volta de 1510. O tema da Virgem com o Menino Jesus tendo a Nossa Senhora sentada sobre os joelhos de Sant’Ana é bastante raro. Porém, alguns exemplos dessa temática podem ser encontrados a partir da Idade Média e dizem respeito ao ciclo da vida sendo representado pelas três gerações.

Leonardo parece ter escolhido esse tema pouco usual por razões simbólicas e essas razões são interpretadas de diferentes maneiras. Numa dessas interpretações, Sigmund Freud defende que nas vestes da Virgem existe a silhueta de um abutre e sugere uma explicação psicanalítica para isso: a de que, quando bebê, Leonardo teria sonhado que era atacado por um abutre em seu berço.


A pintura foi encomendada em sua fase florentina e está inacabada. Talvez ela tenha sido abandonada pelo súbito interesse de Leonardo pela matemática e seu envolvimento nos serviços de engenharia que prestava a Cesar Borgia. Há quem afirme que o cordeiro foi esquematizado por Da Vinci e finalizado por outro artista, mas a paisagem, Sant’Ana, a Virgem e o Menino são, com certeza, trabalho de Leonardo. A tinta é aplicada em camadas finas e é tão límpida e transparente que em alguns trechos é possível identificar o desenho que existe por baixo dela. Isso só foi possível de ser visualizado a partir de restaurações realizadas em 1953.


Este texto é uma tradução livre do site WGA.

16 visualizações

© 2019 Contenuti

logo-whatsapp.png